Quinta-feira, 23 de Julho de 2009

SOLITUDES OU O TELEFONE INDISCRETO

 

 

 

( Desliga falando baixo e muito depressa ) Meu Deus, fazei que ele volte a ligar. Meu Deus, fazei que ele volte a ligar. Meu Deus, fazei que ele volte a ligar. Meu Deus fazei ( O telefone toca. Ela atende. ) Cortaram outra vez. estava a dizer-te que se mentisses por bondade e eu soubesse, teria ainda mais ternura por ti........................................Com certeza...................................Não sejas doido, meu amor!...........................................................................................................................meu querido amor! (enrola o fio do telefone em volta do                                                                                                                  pescoço)........................................................................................................Claro que é preciso desligar, mas custa muito..................................................................................................................

 

 

 

,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,Sim. Ter a ilusão de estarmos abraçados um ao outro e de repente interpor caves, esgotos, uma cidade inteira entre nós................................................................................Lembras-te da Ivone, que não podia conceber como a voz passava através dum fio tão torcido? pois tenho o fio em volta do pescoço. A tua voz em volta do pescoço..........................................................Ah! se a companhia cortasse........... a........................................................................................................... ligação por acaso............................................................................................................................................................Oh! meu querido! Como podes supor que eu penso semelhante coisa? Um de nós tem de tomar a decisão e eu sei bem que é ainda mais cruel para ti que para mim........................................................................................................................................................não...

.................................................................não, não...................................................................................

...............................................................................................Em Marselha?..............................................

.....................................Ouve, querido: já que vocês chegam a Marselha depois de amanhã à noite, eu queria................................................................................................................enfim, ..............

eu gostaria................................................................................................................................................

 

 

 

gostaria que não fosses para o hotel onde ficámos tanta vez. Não te zangas?............

.........................................................................................................................Porque as coisas

que não imagino não existem  ou então existem numa espécie de torpor que me dói menos

 

 

.............................................................................................................................................................

.................compreendes?...................................................................................................................

...............................................................Obrigada.................................................................................

 

 

Obrigada. És muito bom e eu amo-te. ( Levanta-se e dirige-se à cama com o telefone na mão) E agora.........................................................................................................................................

.....................................................................................................................agora....................................

..............................................................................................................Ia dizer maquinalmente até logo

.......................................................................................................................................................................

 

 

..................................................................................................................................................................

..................................................................................................................................................................

....................................................................................................Duvido.................................................

...........................Nunca se sabe............................................................................................................

 

 

 

 

..............................................................................................................Oh!.......................É melhor assim

............................................................muito melhor.....................................................................................

( Deita-se e aperta o telefone nos braços) Meu amor.........................................................................

....................................................meu amor perdido..................................................................................

............................não hesites......................................................................................................................

estou preparada. Vamos. Desliga! Desliga! Desliga! Desliga depressa. Amo-te, amo-te, amo-te, amo-te, amo-te..........................................................................................................................

.....................................................................................................................................................................

( O auscultador cai no chão)

 

PANO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Voz Humana - Jean Cocteau

tradução de Carlos Oliveira

Imagens - André Kertész e Frederick Leighton

 

publicado por ionesco às 18:56
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De redonda a 24 de Julho de 2009 às 18:28
Obrigada pela visita e por assim me permitir também descobrir este blog. Gostei do texto, que não conhecia, da forma como é apresentado e das imagens.
Depois quero voltar com mais tempo para descobrir o que está para trás

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

.posts recentes

. DEREK

. VESTIDOS E ROUPAGENS

. LIMPO E CLARO

. POP ART

. BELO!

. NEO-CLÁSSICO E FIGURATIVO

. VERY SPECIAL ...

. DOUBLE VISION

. VÁRIOS

. MURAKAMI'S

.arquivos

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.tags

. todas as tags

.links

.subscrever feeds